sexta-feira, 29 de maio de 2009

Mãos Dadas


Estávamos lá, você e eu
Perdidos na a multidão.
De longe te percebi
Sei também que fui notado
Carregados sem sentir
Pelo ritmo da canção.
Sem controlar aonde íamos
Somos postos lado a lado.
Tua presença eu senti
Coração acelerado
Nada tinha para dizer
Mas fiquei ali parado
Cantando com a artista
E você entendeu o recado?
Leves toques ocorriam
Mas nada planejado
Só encontros furtivos
De dedos desajeitados
Que logo se entrelaçaram
Mães estranhas que se encontraram
Acolheram-se:
Juntas ficaram.

3 comentários:

Shi Oliveira. disse...

Cada verso bem construído. Adoro sua forma de escrita Lucas!
Continue escrevendo e um dia quem sabe, ainda estarei ao seu lado quando publicar seu livro de poesias!

Um beijo.(:

Lucas Peixoto disse...

Que sonho!! É por isso que é bom os amigos que lêem o que nós escrevemos, os olhares são mais generosos!

manuel disse...

gosto muito deste blog.Continue a escrever assim.
meu blog:www.miscanasyyo.blogspot.com