sábado, 28 de novembro de 2009

Saldo positivo...

Hoje acordei com uma inspiração diferente, então terei que atacar de prosa mesmo.

O ano está chegando ao fim, e tanta coisa vêm acontecendo nesses meses. Mudei muitos aspectos de minha vida, aprendi a me arriscar mais, a ser mais eu. Conheci as pessoas mais diversas, construí amizades que certamente vão perdurar e, principalmente, aprendi que tem como manter as amizades antigas, mesmo que o contato seja menor, através da boa vontade. Boa vontade de quem quer se manter amigo, de quem faz um esforcinho para vencer as agruras do cotidiano e ligar para dizer oi, ou mandar uma mensagem de texto via cel, um e-mail, e para de vez em quando se encontrar e matar as saudades.

Foi nesse ano que de fato, chutei o balde. Arrisquei-me e me joguei de cabeça em algumas relações, apostei todas as minhas fichas em algumas pessoas, e quebrei a cara um punhado de vezes. Chorei, escrevi, sorri, cantei. Encontrei o que procurava? Não. Mas comecei finalmente a aprender sobre o que não procuro, e isso, meus caros, já é um avanço enorme.

Quase deixei o coral. Seria um paço adiante, segundo alguns. Mas não era. O tempo que fiquei afastado, me corroeu com saudade, com falta de música. Não sei se alguém consegue compreender mas, para mim, cantar é necessidade. Então retornei ao coral e ainda preparei um embrião, que espero que se desenvolva, e em breve estarei cantando nos bares e restaurantes pela cidade. Um dia conheci um cara que meio bêbado perguntou meu nome. Com minha resposta ele me olhou e disse com a voz um tanto embargado, mas com uma clareza de raciocínio espantosa: -Você carrega o fardo da arte. Você canta, faz teatro, escreve? Todo Lucas precisa estar ligado à arte, faz parte da essência do nome, esta será a sua sina. – espantei-me com as palavras, e não sei o quanto elas são verdadeiras para os Lucas espalhados pelo mundo. Sei apenas que fizeram todo o sentido para mim.
(Solo da Salada Italiana)

Também voltei a trabalhar, a dar aula e adorei. Não entendia bem essa relação minha com o magistério, mas hoje percebo: sou tímido, mas sou apaixonado por platéia! Sou uma dessas pessoas contraditórias que mal olha de lado quando está andando, porque se sente observado (meus 1m 92cm contribuem enormemente para isso) mas que no fundo ama estar no palco, ser o centro das atenções. Eu quero falar, e quero que me escutem! Ousadia pura, mas fazer o que? Esta é minha natureza. Se não tiver público na condição de artista, o terei como professor.

Enfim, me parece que o saldo este ano foi bem positivo. Não me arrependo de nada que fiz, e posso afirmar: a palavra para mim esse ano foi ousadia! Ousei, e quero ousar ainda muito mais!

4 comentários:

Shi Oliveira. disse...

Apesar dos ganhos e perdas, acho que no final e afinal, o saldo foi de superávit!
Boa sorte nas escolhas, boa sorte na vida meu amigo e saiba que vc pode contar comigo sempre.

Grande beijo :*

Lucas Peixoto disse...

Queria, no fim você acabou sendo parte do montante que contribuíu para o superávit! Vamos adubar essa amizade porque ela ainda vai nos render muitos frutos... nós ja temos histórias e estórias para contar, né não?

Anônimo disse...

Lucas, vc tem um enorme talento ao escrever... Para cantar ainda não sei, espero sabê-lo em breve.
Em alguns momentos, saber o q quer nem é tão importante... Importante é saber o q não se quer mais. E acho q investir em gente, em relações, é fundamental. Se tirou proveito de tudo em 2009, certamente terá um 2010 mto melhor, mto mais consciente de quem é.
Um beijo carinhoso,
L.

Lucas Peixoto disse...

Que você esteja digitando pelas mãos de um anjo... kkkk
e Obrigado pelos elogios!